Ele tinha 30 semanas quando resolveu estrear nesse mundo tão doido, bem antes do esperado para a maioria das gestações. Nasceu prematuro, e já foi lhe dada um missão super escpecial. Sobreviver…

Esse é o Super Chico, bebê, bauruense, que ganhou esse apelido por encarar como super-herói todas as adversidades que a vida lhe preparava. O nome do pequeno é Francisco Guedes Bombini

A ideia de fantasiá-lo de super herói desde bebê, foi da mãe dele,  a advogada Daniela Guedes Bombini, 45 anos, quando o pequeno ainda era interno da UTI neonatal.  Local onde o bebê passou seus primeiros seis meses de vida.

A família descobriu que Francisco teria uma missão especial às 28 semanas de gestação, após uma consulta de rotina. Francisco precisaria de cirurgia intrauterina para corrigir uma obstrução na uretra. A cirurgia aconteceu dois dias depois, em São Paulo, e após duas semanas, às 30 de gestação, ele resolveu estrear. Ele veio à luz muito próximo ao Dia de São Francisco de Assis, celebrado no último dia 4, de quem a mãe, Daniela, emprestou o nome e pediu a bênção para guiá-lo por toda a vida.

 

Um novo início

O parto prematuro de Chico ocorreu para que o garoto pudesse receber os cuidados especiais que não seriam possíveis dentro do ventre. Contudo, a descoberta da síndrome de Down chegou horas após o parto. A notícia foi recebida com muita naturalidade pela família

Daí em diante, a vida de Francisco foi “pura adrenalina”, como define a mãe de Chico, que revezou com o marido, durante os seis meses que Francisco passou na UTI, os horários de visita da manhã e da tarde. Com rotina alterada, Daniela conta que o lema da UTI neonatal é viver “um dia de cada vez”, mas que com Francisco essa regra não funcionava muito bem “lá na UTI, eles dizem que a gente precisa viver um dia de cada vez. Mas com o Chico era uma hora de cada vez, às vezes eu ia embora no almoço com ele bem e quando voltava no final da tarde já não estava mais tudo tão bem assim. Tudo isso foi ensinando a gente a lidar com a situação, a ter fé e a agradecer”.

Mãe começou a fantasiar o recém-nascido durante os seis meses que “morou” em UTI neonatal; menino precisou passar  por sete cirurgias por causa de problemas renais, cardíacos e hipotireoidismo;

Com isso Daniela,  então decidiu contar a história do seu super-herói nas redes sociais e a página tem milhares de seguidores.

A advogada conta que passou a receber mensagens de vários lugares do Brasil e até de outros países como Rússia. Além das manifestações de afeto, a mãe percebeu que as fotos do Chico inspiravam outras pessoas que estavam passando por dificuldades, além de outras mães que tinham filhos com Síndrome de Down.

“Nos elogiavam da forma leve como levávamos todas as dificuldades enfrentadas por ele. Até mensagens de mães muito jovens que não sabiam lidar com um filho com Síndrome de Down”, diz.

Mesmo após receber alta, os cuidados médicos precisaram continuar em casa. Ele vive com sistema homecare, e qualquer intercorrência, precisa ser hospitalizado, pois apenas 13% dos rins dele funcionam.

Hoje Chico, vive feliz ao lado de sua família. E continua surpreendendo seus seguidores com suas linda fantasias.

Inclusive, já tem até fã clube.

Deixe-nos saber o que achou, porque sua opinião é muito importante para nós.


Super Chico – Bebê com Síndrome de Down que é fenômeno na web com fantasias de heróis

Post navegação


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *