Síndrome de Down

Quando seu filho com deficiência não é uma “estrela”

Quando seu filho com deficiência não é uma "estrela"

Um texto publicado no site Ellen Stumbo nos chamou muito a atenção. Quando a autora questionou sobre um tema bem recorrente no mundo especial. Quando seu filho com deficiência não é uma estrela?

Esse questionamento acontece em relação a todas as deficiências em razão do grande alcance das redes sociais. Vemos nos grupos de autismo muitos pais discutindo sobre o fato de que pessoas autistas tem o estigma da superdotação. Mas não são todos assim. Pais de crianças com outras deficiências tentando seu lugar ao sol. Muitos estão conseguindo. Crianças, jovens, adultos estão chegando a lugares de destaque casa vez mais. Mas há casos que isso não acontece. Como aconteceu com a autora do texto. Vale essa reflexão!

Confira

“Quando minha filha nasceu com síndrome de Down, eu determinei que ela seria uma “estrela”. Eu faria o que precisava para que ela se elevasse acima de todas as expectativas. Ela desafiaria todos os estereótipos sobre indivíduos com síndrome de Down.

Sim, minha filha seria a garota com síndrome de Down que era a mais “típica” possível. Doze anos depois, e percebo como fui ingênua. A experiência da deficiência é vasta e ampla.

Doze anos depois, e tenho plena consciência de que meu desejo de que ela fosse uma “estrela” estava enraizado na minha ignorância e atitudes negativas de incapacidade. Naquela época, eu pensava que a deficiência era ruim, então, quanto mais perto você estivesse do “típico”, melhor.

Como se as habilidades da minha filha refletissem seu valor.

Esses “sonhos” que eu realizava eram um reflexo de onde eu estava na minha jornada de compreensão da deficiência. Eu tinha muito o que aprender.

Minha filha não está “pôster” de crianças com síndrome de Down. Não se o objetivo é mostrar o quanto os indivíduos com síndrome de Down podem realizar quando o critério deve estar o mais próximo possível do “típico” ou da “média”.

Acredito que o desejo de ser uma “estrela” é porque queremos que nossos filhos sejam aceitos em uma sociedade capaz.

No entanto, receio que esses mesmos sentimentos sejam capazes por si próprios. Entendo de onde eles vêm, porque vivemos em um mundo que valoriza o talento, o desempenho e, acima de tudo, o intelecto. Qualquer coisa que se desvia da “norma” é frequentemente considerada “menor”. Nossos filhos não são “menos”. De maneira alguma.

Mesmo assim, até hoje, se eu for honesto, pode ser difícil ver outras crianças com síndrome de Down com a mesma idade do meu filho serem mais “bem-sucedidas” em determinadas áreas. Pergunto-me então: “Fiz tudo o que posso para ajudar meu filho?” “Eu perdi alguma coisa?” “Por que meu filho não é capaz de fazer isso?” É uma pontada momentânea que me dá uma pausa. Então me lembro de que não importa. Isso nunca importou.

O bastão de medição não são outras crianças com síndrome de Down, assim como o bastão de medição para mim não são os outros seres humanos incríveis que realizaram muito mais em sua vida em comparação a mim. Eu não sou uma “estrela”, nem sou extraordinário. E está tudo bem. Este jogo de “comparação” não é saudável nem benéfico para ninguém.

Por fim, a vida da minha filha é rica e cheia. A vida dela é tão valiosa e gloriosa quanto a de qualquer outra pessoa.

Minha filha tem seus próprios pontos fortes. Ela tem dons e talentos para oferecer ao mundo. Se o mundo não quer suas contribuições, não é problema dela, é o resultado da ignorância que permeia nossa sociedade. Uma sociedade que falha em ver que todos podem contribuir e que a diversidade enriquece o núcleo de quem somos como pessoas.

Não quero que meu filho seja uma “estrela”. Eu especialmente não quero que ela se sinta como se nunca pudesse se adaptar. Porque ela é mais. Ela é requintada. Ela é amor. Sua vida bate ao ritmo de sua própria música.

Esse texto é uma reflexão de que seu filho não for estrela, está tudo bem. Porque o que importa é que ele esteja feliz e explore todas as suas potencialidades.

Deixe-nos saber o que achou, porque sua opinião é muito importante para nós.

Fonte:https://www.ellenstumbo.com

Tradução: Equipe Crianças Especiais


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar