Síndrome de Down

Pais de dois filhos com síndrome de Down asseguram que os filhos são a alegria da vida deles

Pais de dois filhos com síndrome de Down asseguram que os filhos são a alegria da vida deles

Pais de duas crianças com síndrome de Down, Mariana e José Luis, dizem que são extremamente felizes. E que a vida é “vencer-se diante daquilo que achamos que é uma adversidade e ser felizes nisso. E essas crianças são felizes e também são a alegria da nossa vida”.

O casal é pai de Mariana e Jaime, ambos com síndrome de Down.

Primeiro filho

O casal casou-se há cinco anos com o sonho de formar uma família. Após três anos de casamento, nasceu  Mariana, a primeira filha, que recebeu o mesmo nome que a mãe. Algumas horas após o parto os médicos informaram a família que a menina tinha nascido com síndrome de Down.

“Se ter um filho causa vertigem a qualquer pai de primeira viagem, o choque é ainda maior se te dizem que tem síndrome de Down”,  disse José Luiz em entrevista ao Grupo ACI.

No primeiro momento, os médicos explicaram que a menina teria que ficar internada para exames complementares para averiguar se ela tinha alguma doença relacionada a síndrome. Naquele momento os pais só queriam que a menina estivesse saudável para ir para casa, a síndrome de Down ficou em segundo plano.

“O medo é inegável, mas é muito importante saber a quem acudir e deixar-se aconselhar por especialistas, fundações e famílias que passaram por isso e que são os únicos que vão dar apoio nesses primeiros momentos”, destacou Mariana em uma entrevista ao Grupo ACI.

Apoio

Com isso, José Luis contou que ligou para a Fundação Down, de Madri, na  Espanha. “Isso nos confortou muito, nos ajudaram e acolheram e pudemos ver outras pessoas que dizem estar contentes e que a vida continua e que nosso filho poderia ser feliz e nós também. E, realmente é assim”, destacou.

Diante disso, Mariana assegurou que “não podemos esquecer que a pessoa que temos nos braços é a nossa filha, a quem esperamos por nove meses e que amamos desde o momento da concepção. Ainda que haja medo, não se pode esquecer que ela nasceu e vai dar muitíssima felicidade”.

Os dois explicam que sempre quiseram ter uma família grande e, por isso, quando sua primeira filha tinha um ano, Mariana ficou grávida novamente.

Segundo filho

Contudo, durante essa segunda gravidez, como sua primeira filha tinha síndrome de Down, todos os médicos aconselharam Mariana a fazer “20 mil exames diagnósticos para saber se teria ou não síndrome de Down, como Jaime não tinha nenhum indício de padecê-la, descartamos os exames já que achamos que não tinha a necessidade de fazê-los. Tínhamos claro que íamos acolher nosso filho do jeito que fosse, com toda a alegria”.

Entretanto, Jaime nasceu dia 9 de julho de 2018 e, como lembra Mariana, “quando o peguei, soube que também tinha síndrome de Down”.

Então, o medo que sentiram com a primeira filha não se repetiu com Jaime, pois sabiam o que era a síndrome de Down, “não tínhamos tanta ignorância, não estava tão preocupada sobre como seria a sua vida e a nossa, mas não deixava de ser um novo desafio e, ao final, a vida são desafios e vencer-se diante daquilo que achamos que é uma adversidade e ser felizes nisso. E essas crianças são felizes e também são a alegria da nossa vida”.

“Vocês precisam saber que seus filhos podem ser pessoas que tenham uma vida normal e que conseguirão isso com ajuda e com vontade. Também serão felizes, porque estas crianças são realmente felizes e dão muita felicidade àqueles que estão ao seu redor”.

Todavia, os dois destacaram que foram capazes de enfrentar este “desafio da vida” graças à forte união que experimentam em seu casamento e que não poderiam enfrentá-lo sozinhos.

Deixe-nos saber o que achou, porque sua opinião é muito importante para nós.

Fonte: https://www.acidigital.com


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar