Callie uma menina de dois anos que está com neuroblastoma avançado. Suas mães precisam de dinheiro para custear seu tratamento. Mães, porque a família de Callie é diferente ela tem duas mães. Tiffany e Albree Shaffer é um casal lésbico que há cinco meses vive com a difícil notícia de saber que sua filha enfrenta um câncer.

Para captar recursos as mães abriram uma vaquinha online e encontraram uma mulher identificada como Bren Marie que estava disposta a doar cerca de R$ 30 mil para o tratamento da garota, que se chama Callie. Porém, ao descobrir que a criança era filha de um casal gay, ela desistiu.

Foi quando suas mães receberam uma mensagem, que poderia ajudar a família a custear o tratamento. Porém, o e-mail, relatava que a mulher estava sensibilizada com a história de Callie. Todavia, ela não doaria a quantia de US$ 7,6 mil doláres em razão da menina ser filha de um casal lésbico.

Esse caso triste de homofobia ao casal, além de discriminar as mães, causou um impacto grande na vida do bebê, visto que Callie já está no estágio quatro da doença. Para tanto, seriam necessárias sessões de radioterapia por mais de dezoito meses. Não obstante, a menina deixou de ter parte do tratamento custeado devido ao preconceito dessa mulher.

Contudo, as mães da menina, inconformadas com tal atitude  divulgaram um print com a oferta da mulher e se disseram com nojo de tamanha falta de sensibilidade e preconceito com a criança. Elas também divulgaram a mensagem recebida pela mulher.

Confira a mensagem:

This is a very sick little girl, who's life is on the line……for someone to actually send this and speak to my family…

Posted by Callie strong,Tiny but mighty. on Monday, April 8, 2019

“Minhas orações estão com a Callie. Eu ia doar US$ 7,6 mil (cerca de R$ 30 mil) para ela, mas descobri que ela é filha de lésbicas. Eu escolhi fazer uma doação para St. Jude (hospital infantil) devido a esse fato.

Todavia, a suposta doadora ainda diz que talvez Deus queira matar a criança por ela não ter um pai e uma mãe.“Desculpe, ainda vou rezar por ela, mas talvez seja a maneira de Deus de chamar sua atenção que ela precisa de uma mamãe e um papai, não duas mamães”, escreveu Bren Marie para as mães da criança no Facebook.

As mães na mesma na mesma rede social postaram que não acreditavam no que tinha acontecido. Ela poderia simplesmente não ter doado e ignorado a página”, disse Albree. Ela que largou seus três empregos para se dedicar à filha. A outra mãe, Tiffany, trabalha para sustentar a casa e cuida de seu outro filho, Tyler, de 7 anos, que tem transtorno do espectro autista.

Quer quiser colaborar com a família, basta acessar: https://www.gofundme.com e fazer sua contribuição.

Esperamos que Callie consiga fazer seu tratamento e que ela se recupere o mais breve possível.

Deixe-nos saber o que achou, porque sua opinião é muito importante para nós.

Fonte: https://www.correio24horas.com.br

Foto: Reprodução Facebook Callie Strong 2019


Mulher desiste de doação de R$ 30 mil para menina com câncer: “Filha de lésbicas”


Post navegação


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *