Doenças Raras

Menina que viveu em hospital por 12 anos recebe alta e vai para casa

Menina que viveu em hospital pro 12 anos recebe alta e vai para casa

O Hospital e Pronto Socorro da Criança, de Manaus os estado do Amazonas era só alegria, no último dia 18.

Letícia Kerollen de Souza Oliveira, de 14 anos, recebeu alta médica da unidade após 12 anos de internação. A menina foi diagnosticada com Atrofia Muscular Espinhal (AME) com 1 ano e 7 meses de vida.

Sua luta diante dessa grave doença surpreendeu os médicos e contrariou as expectativas.

O diagnóstico

A menina morava no interior do estado quando apresentou os primeiros sintomas da doença degenerativa. Primeiro, vieram as convulsões, depois os desmaios e a dificuldade para respirar. Foram oito anos no leito da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Mas depois de toda essa luta, a menina pode realizar o sonho de ira para casa. A mãe de Leticia, Irlene de Sousa conta que diziam a ela que a menina nunca sairia da UTI, pois ela só teria alta mediante cuidado domiciliar, que na época não existia.

Todavia, para tratar a doença que é irreversível, há a necessidade de cuidados especiais. Aparelho de respiração, sugador, sonda alimentar e fraldas, além de uma equipe multidisciplinar de apoio.

Agora em casa quem dará continuidade ao tratamento de Leticia na residência da família será a mãe dela. Com o auxílio do programa Melhor em Casa, que fornece serviços de uma equipe multidisciplinar.

Reprodução: Quarto de Leticia em casa

A equipe

Por fim, com o fim da internação na UTI, uma equipe médica acompanhou Leticia uma vez ao shopping e à igreja . Além de pequenos passeios na frente do pronto-socorro. Com a saída dela, todos profissionais ficaram comovidos. “A gente nunca pensou que esse dia fosse chegar. Eu trabalhei com ela desde quando chegou na UTI. Para mim, ela é como uma filha”, contou Núbia, emocionada com tamanha alegria. “Ainda pequena, ela dizia que queria sair, ver o sol e fazer churrasco“.

Deixe-nos saber o que achou, porque sua opinião é muito importante para nós.

Fonte: G1/AM


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar