As gêmeas Hanna e Rachel nasceram com um cromossomo a mais. Todavia, os pais das meninas Nardy Mejias, 37, e o Enzo Lattanzio, 48, só descobriram que elas tinham síndrome de Down depois de três semanas do nascimento delas.

Para eles, o fato das meninas nascerem com síndrome de Down fez com que eles mudassem suas perspectivas sobre o mundo e que suas vidas foram enriquecidas pela vinda das meninas.

“Elas são uma bênção para nossa família. Até agora, criar gêmeos tem sido difícil, mais difícil do que correr uma maratona, mas cuidar das nossas gêmeas nos dá muita alegria”, disse Nardy.

No primeiro momento, a família espantou-se com a notícia sobre a síndrome, visto que não sabiam nada sobre ela A princípio a família ficou espantada com a notícia.  “Foi um pouco difícil no começo, mas superamos a situação. “Demorou alguns meses para nos adaptarmos”, afirmou a mãe.

Apesar da pouca idade as meninas fazem parte da agência de modelos, Zebedee Management, no Reino Unido.

Nascidas com “orelha de cola” , uma condição que é comum em crianças com síndrome  de Down, por isso que é necessário que usem aparelho auditivo.

Elas estão começando a balbuciar e Nardy as ensina a se comunicar usando o Makaton , que usa imagens e símbolos para ensinar a língua de sinais.

Durante a gestação, Nardy não teve nenhuma intercorrência.

Hannah e Rachel têm dificuldades de aprendizado, mas Nardy e Enzo planejam enviá-las para uma escola regular.

Os irmãos mais velhos, Matthew, de seis anos, Rebecca, de cinco anos, e Sarah, de três anos, ensinam carinhosamente os bebês e os ajudam a aprender novas habilidades.

Deixe-nos saber o que achou, porque sua opinião é muito importante para nós.

www.gazetadopovo.com.br

Imagem: Reprodução Agência Zebedee Management

 

 


Gêmeas com síndrome de down idênticas tornam-se modelos

Post navegação


2 pensamentos “Gêmeas com síndrome de down idênticas tornam-se modelos

  1. Lindas a estimulação para a criança nesta fase é fundamental,trabalho com crianças especiais há mais de 20 anos e não é a escola regular que vai melhorar o desenvolvimento delas e sim uma escola que entenda da necessidade das crianças, atendimento individualizado e que a escola especial sabe fazer e tem mais conhecimento.Quando tiver maior encamimha para o regular. Trabalhar em conjunto com a equipe multiprofissional e os pais .

  2. São lindas ,duas princesas !
    Ainda é muito cedo para falar que elas têm dificuldades de aprendizado, são apenas bebês.
    Não “cobre” tanto delas ,elas só precisam de saúde, paz,amor e Deus para viverem e serem muito felizes e fazer feliz todos que as rodeiam.

    * Palavras da de uma mãe uma princesa de 20 anos com síndrome de down.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *