Autismo

Filho autista vai à farmácia sozinho, mãe comemora e relato viraliza


Hábitos do dia a dia para qualquer pessoa é um processo simples, mas para crianças com autismo ou outras deficiência podem significar muito.

Foi o que aconteceu com Davi de Oliveira Garcia, filho de Raphaella Jesus de Oliveira, 33 anos, de Serra, Espírito Santo. Davi, é um garoto de 10 anos que é autista e superou o desafio de ir sozinho à farmácia.

A mãe muito orgulhosa compartilhou essa conquista de Davi em seu Instagram. O relato é muito emocionante. E viralizou. O garoto foi a farmácia sozinho enquanto ela o observava pela varanda de  casa.

View this post on Instagram

Quando recebi o diagnóstico de #autismo do Davi a 4 anos atrás todos os planos e sonhos que tinha pra vida dele foram frustrados naquele consultório, não por me decepcionar com o diagnóstico dado pelo Neurologista mas sim por me preocupar como seria daquele dia em diante, como seria a socialização do Davi se ele não conversava e as poucas palavras que falava eram muito emboladas… Com o passar dos meses fui ficando mais confiante e passei a ver o mundo de outra forma. Aprendi que nossos sonhos depende de nós e não de um diagnóstico, aprendi que o AUTISMO nos ensina a ser fortes e não nos deixa fracos.. Domingo tomei coragem e deixei Davi ir a farmácia SOZINHO, fiquei vigiando pela janela, falei pra ele olhar para os dois lados antes de atravessar, as vezes o carro estava a "anos luz" de distância mas ele não atravessava kkkkkkkk Eu liguei pra farmácia antes, perguntei o valor do produto, dei o dinheiro a ele e falei que sobrava troco. Pode ter sido loucura da minha parte, mas quando ele saiu da farmácia olhou pra cima e disse: MAMÃE EU CONSEGUI, minhas lágrimas começaram a descer e vi que tudo que meu filho quer é mostrar o quanto ele é capaz de fazer as coisas. O que gostaria de deixar como reflexão é pra que nós mães de crianças intituladas especiais (pq pra mim todas são 😍) NUNCA deixemos de acreditar em nossos filhos, um simples papel chamado laudo não pode frustrar nossos sonhos, existem casos graves sim mas TODOS são capazes de evoluir.. AUTISMO NÃO É O FIM 💙 #superação #rapaz #tácrescendo #acreditarsempre #autistaécapaz #meubebetacrescendo #autismonaoeofim #nãoimportaograu #diagnósticonãodefinedestino

A post shared by Davi O Garcia (@daviogarcia06) on

A publicação mexeu com muitas pessoas e, inclusive, ajudou outros pais de filhos com autismo, entendendo que o diagnóstico não é o fim!

“Mais uma vez, obrigada por todo esse carinho, esse repost de vocês com a história do Davi nos deu mais forças para seguir em frente, receber o carinho e palavras de amor de várias pessoas é gratificante”, relatou toda emocionada!

Diagnóstico

Raphaela contou ao site Razões para acreditar, que ogaroto foi diagnosticado com autismo com seis anos de idade e para ela cada conquista do filho é celebrada por ela. Davi até o ano passado não conversava.

“Isso me deixava assustada, com medo, apreensiva em não saber o que se passava com ele enquanto estava na escola ou na casa da babá, ficava agoniada. A fala ainda é embolada, mas ele agora conta como foi o dia dele. E isso pra mim, é mais que uma vitória, é ter ganhado na loteria, mesmo sem jogar!”, conta.

Desafios

Todavia, desde o diagnóstico a rotina do garoto é bem puxada, com todas a terapias, mas ela  conta que  ele está aprendendo e evoluindo bastante.

“Os aprendizados são maravilhosos, ele tem ganhado mais independência e autonomia, isso é maravilhoso. Os desafios ainda são muitos, principalmente porque as terapias são em bairros diferentes, então, a correria para poder ir de um lugar para outro e chegar no horário é um pouquinho cansativo, mas o resultado é motivador.”

Contudo, cada conquista é comemorada pela mãe, semana passada ele foi a uma festa com a mãe e além de se divertir dançou.

“No meio do autismo isso é uma evolução muito grande, a criança sair da zona de conforto e se envolver com as coisas ao seu redor, estou completamente feliz com mais esse avanço na vida do meu Anjo Azul”, comemora.

Lego

A mãe conta que uma das grandes paixões de Davi é Lego. Ele fica entretido e consegue se desenvolver  por meio do contato com esse tipo de brinquedo. A mãe chama de ‘legoterapia’.

“O Lego tem sido fundamental no desenvolvimento do Davi, ajuda muito na coordenação motora, no raciocínio lógico, na concentração, paciência e principalmente na fala. Toda vez que ele constrói algo, pergunto a ele o que fez, então, vou corrigindo os erros e estimulando o diálogo. Pergunto para que serve, vou elogiando e com isso dando mais motivos pra continuar a conversar”, explica.

O brinquedo ajuda o Davi na coordenação motora, no raciocínio lógico, na concentração, paciência e, principalmente, na fala

A mãe cuida de Davi sozinha.  Portanto, ele é seu parceiro de vida.

View this post on Instagram

#tbt Hoje olhando algumas fotos do aniversário do Davi me deparei com esse sorriso e me lembrei de tudo que já passamos pra chegar mos até aqui.. Foram dias de lutas mas confiantes que Deus sempre estava preparando o melhor pra nós. Lembro de quando recebi o diagnóstico sobre o autismo que senti como se tivesse perdido o chão, não sabendo que na verdade estava ganhando força e asas para voar e alcançar tudo que a de melhor pra proporcionar ao meu filho. O Autismo me fez enxergar coisas que jamais poderia imaginar, alcançar objetivos jamais sonhados. Fazer esse aniversário pro Davi foi algo mágico pq até ano passado ele não conversava e com menos de 1 ano de intensas terapias tudo mudou, ele começou a dialogar, participou de cada detalhe desde o tema Lego até o personagem específico Lloyd Garmadon (ninja verde) rsrs. Só quem tem um Anjo Azul sabe a importância dessa autonomia, tomar decisões é uma conquista muito grande. Então é isso, o segredo é não desistir e seguir firme e forte vivendo um dia após o outro 💙 #tbt #tbtdoamor #niver #niverdodavi #legomarvel #legoninja #lloydgarmadon #ninjaverde #autismo #evolução #terapias #conquistas #realizacoes #autismonãoéofim #nãoimportaograu #diagnósticonãodefinedestino

A post shared by Davi O Garcia (@daviogarcia06) on

Acessibilidade

A Rapha aproveitou a entrevista para fazer um desabafo pela falta de informação sobre o autismo e como as pessoas e servidores públicos, no geral, estão despreparados para lidar com o assunto.

“Infelizmente, aqui no meu estado, a falta de informação e inclusão do autista ainda é muito grande. Nós que dependemos de transporte público passamos o maior sufoco em transportes lotados. Muitas das vezes, passamos as tardes inteiras em terapias, quando voltamos para casa, os ônibus estão sempre lotados, e mesmo mostrando a carteirinha do autista, eles fecham a cara e falam: ‘mas ele não tem cara de autista’”, lamenta.

“Hoje, liguei para Ceturb, informaram que irão abrir uma solicitação. Quando perguntei quais os quesitos para incluir o símbolo do autista, a atendente começou a fazer várias perguntas a respeito, perguntando qual linha eu mais utilizava. Informei quais eram e reforcei que era relativo, porque outras pessoas usam linhas diferentes, depois ela informou que depende também da quantidade de solicitações que tem.”

View this post on Instagram

#inclusaosocial Hoje vim falar de algo que já passou da hora de se tornar realidade nos transportes públicos aqui no ES, a inclusão do SÍMBOLO DO #AUTISMO nas poltronas preferências. Atualmente os símbolos preferenciais são semelhantes a esses da imagem. Sabemos que #AUTISMO não tem cara e com isso muitas pessoas ao olhar uma criança em crise a intitula de má educada sem ao menos saber o que passa com ela e com a família. A vida de uma criança #AUTISTA é repleta de terapias para seu melhor desenvolvimento, no final do dia ela está cansada e contando os minutos pra chegar em casa e poder descansar. Quando embarcamos em um transporte público lotado, ninguém se pontifica em levantar e oferecer o lugar mas não os julgo, até pq não tem como saber do direito do autista, só sabe que vive. Hoje entrei em contato com a Ceturb e solicitei a inclusão do SÍMBOLO DO AUTISMO nas poltronas preferências, a atendente anotou a solicitação pra ser analisada, a mesma informou que a inclusão do símbolo depende também da quantidade de solicitações, podem ser feitas por email ou telefone. Venho pedir através desse post que quem puder entrar em contato com a a Ceturb e pedir a inclusão do SÍMBOLO DO #AUTISMO serei eternamente grata, acredito que várias famílias também. Juntos somos mais. Autismo não é o fim 💙 #inclusão #inclusaosocial #transportepublico #autismo #autista #autismonãotemcara #nãoimportaograu

A post shared by Davi O Garcia (@daviogarcia06) on

 

Deixe-nos saber o que achou, porque sua opinião é muito importante para nós !

Fonte:https://razoesparaacreditar.com



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar