Patrique  Dávila, 14 anos, de Alvorada, no estado do Rio Grande do Sul em vez de ter sonhos iguais de outros adolescentes de sua idade, como tornar jogador de futebol, ganhar o videogame do ano ou conhecer um grande ídolo, mas não, seu grande sonho é fazer uma cirurgia.

O jovem nasceu com escoliose, doença caracterizada por uma curvatura anormal da coluna para um dos lados do tronco, causada pela rotação das vértebras. A patologia foi descoberta com poucos dias de vida durante o banho do menino.

Após busca por tratamentos por vários hospitais de Porto Alegre e região a família ao não obter respostas começou a frustrar-se.

Até que em 2015, quando o garoto tinha 10 anos, ele conseguiu uma consulta pela primeira vez com especialista.Ele foi encaminhado para o Hospital Universitário (HU), em Canoas.

Segundo a família, o diagnóstico da equipe médica não deixou dúvidas: Patrique precisaria de cirurgia.

Segundo a irmã do rapaz Patrícia, os médicos disseram que o caso dele não tem outro tratamento possível, a não ser cirurgia, pois a curvatura já está muito acentuada. Falaram que ele teria de ser operado o quanto antes, pois estava em fase de crescimento e o problema poderia piorar na adolescência.

Demora 

Para fazer a cirurgia são necessários exames pré-operatórios. Um deles a tomografia computadorizada com reconstrução tridimensional. Segundo a família, na época, o aparelho estava quebrado, e o garoto seria avisado da marcação pelo hospital. Contudo, essa chamada nunca ocorreu, e Patrique não teve mais consultas marcadas pelo HU.

Em 2018 após a família não ter conseguido ainda fazer o exame procurou a Ouvidoria do Hospital. Nesse momento, foram informados pelos atendentes de que o hospital havia sofrido uma fraude e que o nome de Patrique teria sumido da lista de espera para o exame. Naquela ocasião, ele foi inserido novamente no sistema, mas o exame ainda não foi realizado.

Insatisfeita com o atendimento prestado no HU, a família decidiu levar o menino novamente a um posto e solicitar encaminhamento para outro hospital. Em janeiro deste ano, Patrique consultou na UBS Intersul, em Alvorada, onde foi requerida uma nova consulta com especialista, dessa vez pelo sistema da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Atualmente, ele aguarda o chamamento pela SES e segue esperando pela continuidade do tratamento no HU.

Família faz vaquinha para operação

Patrique tem muita dificuldade de sentar, e até para caminhar é um desconforto, sinte muita dor. Não consegue jogar futebol nem correr. Nos passeios da escola, não entra nas piscinas porque não gosta de tirar a camiseta e todo mundo ficar me perguntando o que ele tem. Seu maior sonho é fazer a cirurgia, será uma vitória para ele.

Todavia, para realizar esse sonho e driblar a demora no atendimento pelo SUS, a família decidiu fazer uma vaquinha online. A meta é arrecadar R$ 300 mil, valor aproximado do procedimento particular. Até o momento, a campanha conseguiu levantar R$ 23.000,00

Contudo, a família não tem condições de arcar com essa cirurgia sem arrecadar os recursos e o maior medo deles é que pela demora Patrique venha a óbito, que é um risco que ele corre.

Deixe-nos saber o que achou, porque sua opinião é muito importante para nós.

Fonte:http://diariogaucho.clicrbs.com.br


Com escoliose menino precisa de cirurgia corretiva urgente


Post navegação


Um pensamento em “Com escoliose menino precisa de cirurgia corretiva urgente

  1. Sou Clarinda Nascimento.
    Minha filha teve escoliose chegou a 85 graus, ela não nasceu com essa anomalia.O que eu quero dizer é que ela pode fazer pelo SUS.Na época fui pelo SUS de Manaus, eu morava lá e fomos encaminhadas para Pernambuco.Hospital Universitário dê lá. Elas fez vários exames. Questão acabou que ela fez a cirurgia no Marcílio Dias, o pai dela é militar, na época não tinha médico especialista e contrataram um particular,na época foi 150,000,00. Ela tinha 12 anos hj com 26 anos.Se a família quiser entrar em contato comigo estou aqui para ajudar o que for preciso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *