Doenças RarasSíndromes Raras

Mulher adota gêmeos com rara condição genética abandonados pelos pais

Mulher adota gêmeos com rara condição genética abandonados pelos pais


Uma mulher ao conhecer os gêmeos Matthew e Marshall apaixonou-se por eles. Nem mesmo a condição genética rara dos meninos a impediu de lutar para adotá-los.

Os pais dos meninos perderam a guarda deles e eles estavam abandonados no hospital, com apenas quatro semanas. Diante disso, a enfermeira norte-americana Linda Pfeiffer, 60 anos, decidiu adotá-los.

Os meninos, hoje, com cinco anos nasceram em 2014 com síndrome de Pfeiffer, tipo dois, uma condição rara que faz  com que os ossos de seus crânios se fundissem prematuramente no útero. Além disso, eles tem problemas de visão e má formações nas mãos e pernas.

Reprodução

Ocorre quando as partes do crânio se fundem muito cedo, o que significa que o osso não pode se expandir à medida que o cérebro cresce. Eles herdaram essa condição genética do pai.

A adoção

A enfermeira que estava habilitada para adoção de uma criança especial, foi questionada pelo programa de adoção se desejaria adotar um dos meninos, mas Linda nunca considerou essa hipótese pois nunca separaria os irmãos. Ela adotou os dois.

Os meninos precisam de cuidados especiais 24 horas por dia e têm consultas médicas regulares.

Nos últimos dois anos, ambos tiveram três operações para remodelar o osso que se fundiu antes de nascerem, para permitir espaço para o cérebro crescer.

Eles precisam de tubos de respiração para sobreviver, usam cadeiras de rodas para se locomover porque a condição afeta sua mobilidade e usam óculos porque sua visão é ruim.

Linda também precisa medir a temperatura a cada poucas horas para verificar se há infecções, e ela os coloca na cama presos todas as noites, porque, se as mãos ficarem livres, eles podem arrancar os tubos respiratórios.

Mas Linda conta que está determinada a dar a eles a chance de terem vidas independentes.

Os meninos

Segundo Linda os meninos dão muito trabalho, mas são divertidos, felizes e sorridentes. “Quase sempre, se um gêmeo ri, o outro gêmeo ri automaticamente também“, contou Linda.

Todo mundo se apaixona por eles.”, finalizou a mãe.

Deixe-nos saber o que achou porque sua opinião é muito importante para  nós.

Fonte: NY Post



Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar