Inclusão SocialSíndrome de Down

Jovem se torna a primeira Relações Públicas com síndrome de Down


Luísa Camargos é uma linda mulher empoderada e decidida, de 25 anos, com síndrome de Down.

Durante os últimos quatro anos ela cursou Relações Públicas, na Faculdade Pitágoras, em Belo Horizonte, no estado de Minas Gerais.

No último dia 19,  ela apresentou seu TCC – Trabalho de Conclusão de Curso para uma banca composta por: Anita Cardoso, presidente do Conrerp, Flávio Murta  professor e orientador, Wilson Mingote, professor e coordenador e Juliana Dias Professora.

O tema escolhido por Luísa foi Comunicação nas Organizações. Durante sua apresentação ela pôde defender seu ponto de vista sobre o tema.

View this post on Instagram

Galera, preciso de ajuda! 😬🙌🏼 Como vocês já sabem, estou fazendo meu TCC e fiz um questionário para gerar dados que me ajudarão a dar continuidade ao trabalho de conclusão de curso. Preciso muito que vocês respondam esse questionário para mim! 🙏🏼 É pequenininho, com respostas em múltipla escolha e sobre a experiência de vocês com o Núcleo Assistencial Caminhos para Jesus, tema do meu TCC. É só clicar no link na Bio Muito obrigada por ajudarem uma formanda! 👩🏻‍🎓❤️🎓🙌🏼😄 . . . . #sindromededown #downsyndrome #downsyndrom #t21 #t21love #t21rocks #cromossomo21 #trissomiado21 #trissomia21 #trisomy21 #cromossomodoamor #tcc #tccdadepressão #faculdade #trabalho #nacj #estudo #universidade #desenvolvimento #faltapouco #graduação #rp #relacoespublicas #relaçõespúblicas #conrerp #conrerpjr #formanda #formandas2019 #bacharel #conrerp3

A post shared by Luísa Camargos (@lusrcamargos) on

O seu TCC foi aprovado com louvor pela banca examinadora.

Quem pensa que essa conquista de Luísa foi fácil está enganado. Segundo a jovem o processo foi de superação diária, com a ajuda da família, das professoras particulares, dos professores da faculdade, dos coordenadores, da diretora e dos funcionários.

“Aprendi muito e sei que ensinei também, a inclusão venceu”!, conta Luisa

Luisa fez um post em seu Instagram um post emocionante dizendo: “Espero ter aberto portas para outras pessoas com Down mostrarem sua capacidade acadêmica e para quem não tem Down mas tem medo de não enfrentar uma faculdade espero ter dado coragem. Só tenho a agradecer a Deus por tudo! Por toda inteligência que me deu e pelas pessoas que colocou no meu caminho para me ajudar”.

Após essa aprovação Luísa tornou-se a primeira profissional de relações públicas, graduada e registrada, no Brasil

 

View this post on Instagram

Ontem foi um dia incrível! 🎓 Tive a honra de defender meu TCC para os melhores professores e a presidente do Conrerp. Fui aprovada com louvor!!! Sou a primeira Relações Públicas do Brasil com Síndrome de Down! Foi o fim da Faculdade, fim de 4 anos de muita luta, muito estudo e muita alegria. Foi uma superação diária, com a ajuda da minha família, das minhas professoras particulares, dos professores da faculdade, dos coordenadores, da diretora e dos funcionários. Aprendi muito e sei que ensinei também, a inclusão venceu! Espero ter aberto portas para outras pessoas com Down mostrarem sua capacidade acadêmica e para quem não tem Down mas tem medo de enfrentar uma faculdade, espero ter dado coragem. Só tenho a agradecer a Deus por tudo! Por toda inteligência que me deu e pelas pessoas que colocou no meu caminho para me ajudar. TCC APROVADO! BACHAREL EM RELAÇÕES PÚBLICAS 👩🏻‍🎓 . . . . #tccaprovado #tcc #faculdade #universidade #inclusão #inclusaoescolar #alegriadeviver #sdown #cromossomo21 #rp #relacoespublicas #comunicação #graduação #formada #formaturas

A post shared by Luísa Camargos (@lusrcamargos) on

Futuro

Luísa agora dá palestras, por meio delas ela conta a sua história e compartilha um pouco da sua vida. Ainda compartilha sua rotina em seu Instagram.

A jovem  é prova que quem é Down tem o mundo inteiro para desbravar e conquistar. Ela conversa com mães e pais de filhos Down, tira dúvidas e explica como é o processo de vida dela. Ela também mostra que inclusão é algo natural e que sua vida é como de qualquer outra pessoa.

View this post on Instagram

Uma honra fazer parte desse evento tão importante! ❤️ Obrigada pelo convite @institutomanodown estamos sempre juntos! #repost @institutomanodown #PresençaConfirmada – Veja quem já confirmou presença no Mano Talks: ▶ Luísa Camargos ⠀ ✅Graduanda em Relações Públicas ⠀ ✅Criadora do insta @lusrcamargos ⠀ ✅Estagiária de Comunicação ⠀ ✅Palestrante ⠀ ✅Idealizadora do Projeto de Autonomia Bagaceira ⠀ E você? Já garantiu a sua inscrição??? ⠀ ⠀ 🎯🎯Inscrições 2º Lote: LINK NA BIO ⠀ 🗓DIA: 18/05 ⠀ ⏰HORÁRIO: a partir das 08h00 ⠀ 🏬LOCAL: Auditório Hospital MaterDei – Contorno – BH ⠀ 🎯🎯Garanta a sua vaga, antes da virada de lote: LINK NA BIO ⠀ 🚨🚨 2º lote somente até 10/05 ⠀ ⠀ #EspaçoDeTransformaçãoHumana #DesenvolvimentoPotencializado #SíndromeDeDown #ManoDown #VemProManoDown #ManoTalks #EuVouNoManoTalks #EuVou . . . . #t21 #cromossomo21 #evento #énormalserdiferente #trissomia21 #rp #relacoespublicas #downsyndrom #downsyndrome #evolução #desenvolvimento #digitalinfluencer #influencer #cromossomodoamor #vidanormal #sdown

A post shared by Luísa Camargos (@lusrcamargos) on

O projeto Bagaceira

Recentemente, junto com sua irmã Alice elas lançaram o projeto Bagaceira. O Bagaceira é um projeto que busca empodera os adultos com síndrome de Down, desenvolvendo autonomia, independência, responsabilidade e alegria na vida adulta.

As saídas são só com os jovens (pais são vetados) para bares, botecos, baladas, para colocar o papo em dia, viver experiências novas, tomar decisões sozinhos, aprender um pouco mais sobre o mundo sem a proteção dos pais e principalmente se divertir muito.

Acima de tudo, Luísa é uma inspiração e exemplo de superação. Ela sempre diz: Todos temem a síndrome de Down! Eu amo ser síndrome de Down“.

Luísa hoje é a primeira Relações Públicas Brasil com Síndrome de Down e uma das apenas 70 pessoas com síndrome de Down que entraram em universidade.

Após a formatura ela quer tirar carteira de habilitação, uma vez que pretende trabalhar como Relações Públicas e fazer uma Pós Graduação ou MBA.

 

Inspiração

Complementado suas ações, Luísa tem ajudado muitas mães com receios e novidades, ela está inspirando muitas pessoas a acreditarem que tudo é possível, mostrando que inclusão está em todo lugar, isso enche nosso coração de amor e alegria.

Portanto, ela é  a prova viva que uma pessoa com síndrome de Down com uma família participativa e acolhedora, as terapias corretas, pode ser o que desejar.

Deixe-nos saber o que achou, porque sua opinião é muito importante para nós.

Texto autoral, autorizada a reprodução desde que citada a fonte.



Etiquetas

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar