Há alguns dias temos relatados casos de gêmeos, onde um irmão tem síndrome de Down e o outro não.

Esse é o caso também da irmãs Graziela e Rafaela Altino, de 28 anos, gêmeas  bivitelinas, de Nova Cruz, no Rio Grande do Norte.

O caso das meninas ocorre 1 caso em 1 milhão de nascimento.

Superação

Rafaela nasceu com síndrome de Down enquanto Graziela não. Elas são muito unidas. Rafaela está no 7o ano do ensino fundamental e Graziela é médica veterinária.

A vida delas não tem sido nada fácil, elas perderam a mãe no início da adolescência, com isso as duas tornaram-se mais unidas, sendo cúmplices e amigas, o amor entre elas só cresceu. Uma completa a outra. Elas também têm um irmão que vive com elas e as ajudam. 

Rafaela tem síndrome de Down, fato que as fazem serem mais unidas, mas ao contrário do que se parece Graziela é mais dependente da irmã do que Rafaela dela.

Sem a irmã, Graziela não teria forças para seguir em frente. 

Rafaela mostra a irmã todos os dias o valor de seguirem em frente juntas e para Graziela, Rafaela é o motivo de acordar e levantar todos os dias.

View this post on Instagram

Meus melhores!! 💙💙 #medveterinariabr #medicinaveterinaria #futurosmedvet

A post shared by Graziela e Rafaela (@grazielaerafaela) on

“Ela precisa de mim e eu preciso dela mais ainda. Nossa união está além do fato de sermos gêmeas, está principalmente em termos uma a outra, somos uma parte da outra.” relata Graziela 

“Gostaria que as mamães de filhos com Down nos acompanhassem e percebessem o quanto a vida de quem tem a síndrome é normal, principalmente quando você os os enxerga normais” finalizou Graziela 

Deixe-nos saber o que achou, sua opinião é muito importante para nós.


Gêmeas bivitelinas, uma com síndrome de Down e outra não, superam perda com o poder do amor

Post navegação


15 pensamentos “Gêmeas bivitelinas, uma com síndrome de Down e outra não, superam perda com o poder do amor

  1. É sempre bom saber de histórias de famílias que aceitam e acolhem seus entes independente de condições ou limitações de saúde! Eu só não entendo porque a Rafaela ainda se encontra no 7 ano aos 28 anos?

  2. Tenho o Raphael de cinco anos com Sindrome de down ele e o sentido da minha vida …..Neste mundo louco e so veio para ensi nar o valor do amor verdadeiro a pureza …Sao anjos enviado por Deus…

  3. Realmente falta palavras ,as vezes somos tão egoístas e só sabemos reclama de coisas tão bestas ,não é só uma linda história mas sim uma realidade de vidas dessas duas irmãs guerras que se completam
    Deus as abençoe todos os dias da vida delas

    1. Obrigada por seu comentário, como as estatíscas de pessoas que nascem com síndrome de Down começaram ser feitas há pouco tempo pelo governo, acredito quem em breve teremos essa resposta. Pois hoje os hospitais são obrigados a informar isso. Acredito quem em breve teremos a certeza se nascem mais meninos ou meninas ou ambos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *