As crianças especiais e a sua integração social

Devo colocar o meu filho no ensino regular ou no ensino especial? Este é um dos grandes dilemas dos pais de crianças com necessidades especiais aquando da sua entrada no jardim infantil ou na escola. O Centro Social Paroquial de Barcarena é um exemplo a seguir.

De que forma é que o Centro Social Paroquial de Barcarena promove a integração social?
O Centro promove a integração social, admitindo crianças de vários estratos sociais, respeitando os critérios de admissão (precariedade económica, irmãos a frequentar, pais a residir ou a trabalhar na freguesia, etc.).

Quantos casos já tiveram ou têm que necessitem de ser integrados no ensino regular?
Já passaram pelo Centro várias crianças com necessidades educativas especiais. Neste momento, porque não temos capacidade e temos dificuldades nas vagas, existem menos crianças. Actualmente, temos quatro crianças com necessidades especiais: duas com atrasos no desenvolvimento, uma com hiperactividade e uma com espectro autista.

Na sua opinião, quando há casos de crianças com necessidades especiais, quais as grandes vantagens de serem inseridas num infantário ou escola de ensino regular?
As crianças com ritmos diferentes vão mais facilmente fazendo as aquisições base se estiverem inseridas num grupo de meninos sem dificuldades. As rotinas são feitas de modo a incluir todas as crianças. O programa é desenvolvido respeitando o ritmo da criança e tentando que, de acordo com as suas capacidades, o vá acompanhando. A criança é incentivada a fazer como os seus pares.

Considera que há uma lacuna muito grande por parte de algumas escolas pela falta de recursos humanos e profissionais para integrar socialmente estas crianças?
De um modo geral, algumas creches e jardins-de-infância não têm recursos humanos especializados, o que muitas vezes acontece (é o nosso caso) é ter pessoas com muita prática e predispostas a aceitar a criança com maior dificuldade e ir descobrindo a melhor resposta para a sua integração. Recorre-se ao Agrupamento Escolar – “Apoios Educativos”, estabelecem-se parcerias com instituições especializadas na área de deficiência, o que fazemos com a Cooperativa de São Pedro de Barcarena que colabora na cedência de técnicos que ajudam a avaliar e a acompanhar a criança e a família.

Como é o relacionamento entre as crianças?
As crianças lidam naturalmente com as situações interagindo umas com as outras e, por vezes, desenvolvendo mecanismos de defesa do colega.

Quais as actividades que normalmente são realizadas por todas as crianças?
As actividades que realizamos com as crianças são programadas no nosso Plano Anual de Actividades que consta no nosso Projecto Educativo. São subordinadas a um tema e decorrem durante o ano lectivo. Este ano, por exemplo, estamos a trabalhar a arte e temos feito variadíssimas actividades: visitas a centros de arte, recitais de poesia com os avós, actividades que envolvem todas as expressões com os pais (dia do Pai e dia da mãe) ida ao teatro, dramatizações para as crianças, comemorações do Natal, da Páscoa, do Carnaval, do Dia mundial da Criança (ver caixa). “Educar pela arte” é esse o nosso lema!

Que conselhos daria aos pais de crianças com necessidades especiais, sobretudo aqueles que têm dúvidas e não sabem onde colocar os seus filhos?
Diria para nunca desistirem! Para procurarem os apoios necessários para cada problema. Acrescentaria para se informarem de tudo o que possa existir para os ajudar na sua caminhada que é sempre tão difícil.

Estratégias adequadas para integrar crianças com necessidades especiais
- Perceber como é que a família encara a situação e que expectativas tem.
- Preparar a educadora e auxiliar sensibilizando-as para a dificuldade da criança.
- Reduzir tanto quanto possível o número de crianças na sala, permitindo à educadora que as acompanha maior disponibilidade.
- Pedir colaboração à equipa de técnicos que acompanha a situação – médicos, psicólogos, terapeutas, etc.
- Avaliar permanentemente se o tipo de resposta é ou não o mais adequado envolvendo a família e pessoal que lida com a criança.
AstraZeneca e Câmara Municipal de Oeiras enviam ao mundo desejos de 115 crianças

No dia Mundial da Criança, dia em que a AstraZeneca celebrou o seu 10º aniversário, 115 crianças do Centro Social Paroquial de Barcarena tiveram uma tarde repleta de diversão juntamente com o Noddy, o Bob o Construtor e a Xiquitita. A tarde terminou com a largada de balões de hélio gigantes, que voam agora com mensagens e desejos de um mundo melhor.   
“Muito amor” e “Muita paz” e “que todos os dias sejam o dia mundial da criança” foram alguns dos desejos inscritos nos balões que se juntaram a mais uma centena de mensagens das crianças, dos seus educadores e dos colaboradores da AstraZeneca, tendo sido este, um dos momentos mais apreciados da tarde de dia 1 de Junho. Antes da largada dos balões e na companhia dos amigos do seu imaginário, as crianças tiveram oportunidade de se intrigar com a magia, de percorrer os insufláveis e de se divertir com as pinturas faciais, actividades disponíveis nos 5 cantinhos coloridos implantados nos jardins.
“As crianças com ritmos diferentes vão mais facilmente fazendo as aquisições base se estiverem inseridas num grupo de meninos sem dificuldades. As rotinas são feitas de modo a incluir todas as crianças”

“As crianças lidam naturalmente com as situações interagindo umas com as outras e, por vezes, desenvolvendo mecanismos de defesa do colega”

Os pais devem procurar os apoios necessários para cada problema, cada caso e informarem-se de tudo o que possa existir para os ajudar na sua caminhada que é sempre tão difícil

“A criança é incentivada a fazer como os seus pares”

 

Fonte: Sapo Família – Mãe Ideal


Talvez você tenha interesse:

Escrito por

Eduardo Guilhon é brasileiro, nascido e residente na cidade de Florianópolis/SC, atua no mercado fotográfico através de Books, Retratos e Crianças Especiais, sendo o primeiro Catarinense há se especializar em fotografia de Crianças com Necessidades Especiais através da SpecialKids Brasil. Suas especializações na área de Books, Retratos e Crianças Especiais permitiu criar sua marca através da utilização de técnicas de iluminação criativa (Strobist) em conjunto com a luz ambiente. Além de fotógrafo, Eduardo também é autor de diversos artigos e reviews voltados para fotografia que foram publicados em sites nacionais e internacionais, sendo utilizados por alguns professores em seus cursos de fotografia. Tem como missão congelar a imagem de forma inovadora, refletindo e registrando com alto desempenho o momento único existente durante todo o trabalho, entregando ao cliente, um pedaço especial de sua vida em forma de fotografias.